quarta-feira, 27 de setembro de 2006

Sobre o Amor próprio

Ninguém Sabe (Renata Pallottini)

Ninguém sabe mas você foi o escolhido. O seu amor é único, o seu amor é um homem sentado pensando em seu cachorro morto. O seu amor é a última orquídea do inverno é pássaro pedindo água pupila adormecida. E você nem se importa pelo fato de ser melhor. O seu nariz é grego, você é tão bonito e nem liga. É verdade que você tem sofrido muito mas isso faz parte. Quando você anda na rua as árvores florescem. Você é meu amigo. Você é eu.

Sobre o(a) autor(a):Paulista - 1931. Cursou Direito, Filosofia e Dramaturgia.Roteirista do programa infantil Vila Sésamo e da série Malu Mulher, entre inúmeros outros. Alguns de seus livros: Acalanto, A Casa, Coração Americano, Noite Afora e Chão de Palavras.

________________________________________________________________

As Borboletas

Com o tempo, você vai percebendo que, para ser feliz com uma outra pessoa você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe, também, que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que nao quer nada com você, definitivamente, não é o homem (ou mulher) da sua vida. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, principalmente, a gostar de quem também gosta de você. O segredo não é correr atrás das borboletas... E cuidar do jardim para que elas venham até você. No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando... Mas quem estava procurando você.

(Mario Quintana)
____________________________________________________________________
Liliana Barabino

"Mesmo antes de nascer, já tinha alguém torcendo por você. "Tinha gente que torcia para você ser menino.Outros torciam para você ser menina. Torciam para você puxar a beleza da mãe, o bom humor dopai. Estavam torcendo para você nascer perfeito. Daí continuaram torcendo. Torceram pelo seu primeiro sorriso, pela primeira palavra, pelo primeiro passo. O seu primeiro dia de escola foi a maior torcida. E o primeiro gol, então? E de tanto torcerem por você, você aprendeu a torcer. Começou a torcer para ganhar muitos presentes e flagrar Papai Noel. Torcia o nariz para o quiabo e a escarola. Mas torcia por hambúrguer e refrigerante. Começou a torcer até para um time. Provavelmente, nesse dia, você descobriu que tem gente que torce diferente de você. Seus pais torciam para você comer de boca fechada, tomar banho, escovar os dentes, estudar inglês e piano. Eles só estavam torcendo para você ser uma pessoa bacana. Seus amigos torciam para você usar brinco, cabular aula, falar palavrão. Eles também estavam torcendo para você ser bacana. Nessas horas, você só torcia para não ter nascido. E por não saber pelo que você torcia, torcia torcido. Torceu para seus irmãos se ferrarem, torceu para o mundo explodir. E quando os hormônios começaram a torcer, torceu pelo primeiro beijo, pelo primeiro amasso. Depois começou a torcer pela sua liberdade. Torcia para viajar com a turma, ficar até tarde na rua. Sua mãe só torcia para você chegar vivo em casa. Passou a torcer o nariz para as roupas da sua irmã, para as idéias dos professores e para qualquer opinião dos seus pais. Todo mundo queria era torcer o seu pescoço. Foi quando até você começou a torcer pelo seu futuro. Torceu para ser médico, músico, advogado. Na dúvida, torceu para ser físico nuclear ou jogador de futebol. Seus pais torciam para passar logo essa fase. No dia do vestibular, uma grande torcida se formou. Pais, avós, vizinhos, namoradas e todos os santos torceram por você. Na faculdade, então, era torcida pra todo lado. Para a direita, esquerda, contra a corrupção, a fome na Albânia e o preço da coxinha na cantina. E, de torcida em torcida, um dia teve um torcicolo de tanto olhar para ela. Primeiro, torceu para ela não ter outro. Torceu para ela não te achar muito baixo, muito alto, muito gordo, muito magro. Descobriu que ela torcia igual a você. E de repente vocês estavam torcendo para não acordar desse sonho. Torceram para ganhar a geladeira, o microondas e a grana para a viagem de lua-de-mel. E daí pra frente você entendeu que a vida é uma grande torcida. Porque, mesmo antes do seu filho nascer, já tinha muita gente torcendo por ele. Mesmo com toda essa torcida, pode ser que você ainda não tenha conquistado algumas coisas. Mas muita gente ainda torce por você!"

___________________________________________________________________

"Se até o alfaiate gaba o seu corte ao freguês,
Porque motivo só não pode o poeta elogiar o que fez?"

Mário Quintana

Um comentário:

CAROLZINHA disse...

Regito, havia lido o poema da torcida esses tempos atrás e me lembrei de você, justamente porque estou aqui na maior torcida por você, para que consiga alcançar seus objetivos, sucesso, sonhos... Te conheço muito pouco, mas o suficiente pra dizer que você merece a torcida de todos que te rodeiam, pois sabem que atrás desse homem "bobagento" existe um grande ser humano e uma pessoa admirável. Torço muito por você!!! Beijosss!!!